Alquimia e Espagiria: Reflexões Esparsas

Introdução

Este artigo tem uma estrutura um pouco diferente dos outros textos publicados anteriormente. São pequenos apontamentos esparsos sobre espagiria e alquimia. Fruto do que temos aprendido ao longo da Jornada.

Algumas diferenças entre espagiria e alquimia

Muitos praticantes da Sagrada Arte, e diversos autores, no passado e atualmente, diferenciam espagiria de alquimia.

Nós, sempre que possível, designamos todos os processos da Arte como alquimia, para simplificar a abordagem. Deixando a diferenciação quando tratamos de assuntos específicos de cada matéria ou para os estudos sistemáticos em nossa Irmandade.

A espagiria é a antecâmara da alquimia. Ocupa-se com a elaboração de medicinas (remédios) que agem tanto no corpo físico quanto no corpo sutil. As preparações espagíricas também podem atuar de modo iniciático. Ou seja, operam no nível energético dos Centros Psíquicos (Chakras).

A espagiria pode ser ensinada pelo homem. A Alquimia é dada por Deus.

A espagiria transforma. A alquimia transmuta.

A espagiria trabalha nos reinos vegetal, mineral, animal e universal. E através de longas e sucessivas operações, chegamos à Pedra de cada Reino.

Já a alquimia, ocupa-se com a preparação da Pedra Filosofal. Este processo também é chamado de a Grande Obra.

Ora e Labora ocorrem juntos. A purificação acontece quando se trabalha.

Na espagiria você segue uma receita e tudo funciona. Na alquimia não é bem assim (às vezes, na espagiria, também).

O espagirista é um Artista que labora, através de operações alquímicas e/ou espagíricas com o objetivo de purificar ao máximo os corpos vegetais (e de outros Reinos) e, assim, formar um remédio (rei médio, o coração) puro e o mais sutil possível.

O alquimista opera para elaborar a Pedra Filosofal. E um Avatar (na Alquimia), é aquele que conseguiu fazê-la.

Na alquimia existem a pequena transmutação e a grande transmutação. Transmutação em Prata e Transmutação em Ouro, respectivamente.

Ambas, alquimia e espagiria, trabalham os quatro elementos; Separam o sutil do grosseiro; Iniciam o seu trabalho com a observação.

O Alquimista tem uma relação muito estreita com Deus. Pois, o sucesso de sua Obra depende da graça divina.

É normal que todos se iniciem pela espagiria. E, após ter dominado as operações de cada Reino, e se assim desejar, iniciar a Grande Obra.

Ou seja, começando do mais simples para o mais complexo. Pois, as operações são menos perigosas. Deste modo, adquire-se maior perícia e conhecimento antes de realizar trabalhos mais periculosos.

Para finalizar…

Esperamos que estas brevíssimas reflexões lhe tenham caído como gotas de inspiração para trilhar a Jornada Alquímica.

Se você tem alguma reflexão que gostaria de compartilhar com todos os nossos leitores, deixe no espaço para comentários, logo abaixo.

“A vida é breve. A Obra é longa.”

ALQUIMIA & ESPAGIRIA

Receba GRATUITAMENTE mais conteúdos sobre ALQUIMIA & ESPAGIRIA no seu eMail!>

9 Comentários


  1. Boa noite amados,fico feliz por muitas informações obtidas,para mim é muito importante aprender algo que me faz bem.

    “Ajudar-me hoje para que possa ajudar amanhã”

    Responder

  2. Obrigado pela elucidação doas Artes, quero fazer parte do Círculo de Espagiria e depois daremos sequência a Grande Obra!
    Que a Paz Seja Profunda!

    Responder

  3. Muito elucidativo mas é necessário fazer olhos para ver e ouvido para ouvir todas operações tem que ser feita conciente!

    Responder

  4. Saudações Fraternais,
    ::

    Ir:: Kohen, o texto supracitado foi, no presente momento que confeccionei este comentário, de grande valia para minha jornada. Possibilitou-me meditar quanto a expressão “…ora et labora…” e seu profundo significado. Além logicamente, da belíssima frase que em outra oportunidade também fortaleceu a chama do fogo que me move a alcançar a Grande Obra, “… A vida é breve. A obra é longa…”.
    Ir:: Agradeço por mais uma publicação de conceitos baseados na Sagrada Arte, além de possuir inúmeras chaves, que devem ser encontradas por nós Adeptos.
    Que a Grande Luz Universal o ilumine estimado Ir::
    Meus mais sinceros agradecimentos e votos de Paz Profunda.
    Ir:: Anderson Melo

    ::

    Responder

  5. Boa noite Ir:: Kohen, a grande meta a ser alcançada dentro da Sagrada Arte está a aceitação do operador como sendo o Laboratório Universal em si mesmo, desta forma, abre-lhe a capacidade de compactação dos Quatro Elementos que darão permissão a liberação do Quinto Elemento que tem por mérito uma vibração dimensional em uma Câmara Absoluta chamada Subconsciente com propriedades poderosas de manifestações, imediatamente ao mento/penso/ativo desejado, mas, para tal Liberdade de Expressão será necessária a correta confecção moral da Consciência do uso! O Sagrado Forno purificará o praticante mediante suas limitações e quando isso acontecer, então, estará pronto para compreender o Ilimitado Poder Criador! O trabalho é árduo e em muitos casos dolorosos pela falta da paciência e da persistência na Realização da Obra Sagrada fazendo com que a vida pela desistência seja ainda mais penosa! Assim penso! Paz Profunda!

    Responder

  6. Mais uma vez parabenizo-o pelo trabalho de divulgação e ensino da arte através da IHSA.
    Espero um dia a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente e aprender mais com seu valoroso labore.
    Abraço fraterno,
    Alex

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *