Alquimia

Considerações preliminares de Eugene Canseliet sobre a Alquimia

Considerações preliminares de Eugene Canseliet sobre a Alquimia

Explicar a alquimia é, sobretudo, propor ao neófito elementos (tomando o termo em sentido figurado) de apreço alentado e seguro. Certamente, os comentaristas modernos se multiplicam. Que benefício substancial é possível alcançar a partir deles, uma vez que não manipulam ferramentas e materiais? Consequentemente, eles se mostram incapazes de elucidar a passagem sábia ou a cena iconográfica que utilizam sem convencer, e na maioria das vezes sem razão. Em alquimia, nenhum autor faz um trabalho mais prejudicial do que aquele que disserta sobre operações que Continue lendo

Espagiria: Os três princípios filosóficos

Espagiria: Os três princípios filosóficos

O trabalho na espagiria vegetal consiste em separar e purificar os princípios constituintes das plantas para, mais tarde, voltar a reuni-los (Solve e Coagula), dando lugar ao que se denomina um magistério. Cabe perguntar o que são estes chamados princípios constituintes dos vegetais. Segundo a Teoria dos Três Princípios, de Paracelso, todos os corpos orgânicos ou inorgânicos são o resultado da combinação, em proporções diversas, de três substâncias ou princípios básicos que ele denominou Enxofre, Mercúrio e Sal. Estes três princípios não coincidem com o Continue lendo

Paracelso, o Espagirista

Paracelso, o Espagirista

É impossível estudar alquimia e espagiria sem conhecer Paracelso e sua obra. E é bem provável que você já tenha lido a respeito. Neste artigo, além de expor um resumo biográfico, apresentamos alguns textos interessantes, pouco conhecidos, a respeito deste mestre espagirista. Ficaremos em débito com as fontes da pesquisa. Pois, o artigo é fruto de leituras antigas. Na medida que encontrava-mos algo notável, imediatamente era registrado em diário, sem a pretensão de algum dia partilhar neste formato. RESUMO BIOGRÁFICO aracelso, cujo verdadeiro nome era Continue lendo

O Silêncio do Alquimista

O Silêncio do Alquimista

Ama o silêncio. Pois, ele pode ensinar coisas que a língua não pode expressar. Quando este Aprendiz dera os primeiros passos na senda da Iniciação, ficava atordoado com o excesso de questionamentos dos meus Irmãos, também neófitos. A cada novo evento, a lengalenga se repetia: “A ritualística podia ser mais curta, eles deviam planejar melhor as reuniões, os Oficiais deviam fazer de outro jeito, muito caro isso, eles deviam deixar a gente participar mais”. Murmurações como estas eram observadas em todas as Sociedades em que Continue lendo

A Alquimia e a Origem da Natureza: Do Vapor à Água

A Alquimia e a Origem da Natureza: Do Vapor à Água

Este artigo é dedicado àqueles que se debruçam sobre a prática laboratorial da alquimia; aos que conseguem enxergar a sacralidade da matéria, ao invés de limitarem-se em elucubrações místicas e analíticas. Seguindo as instruções de Johann E. V. Naxágoras, a água deve ser a primeira matéria a ser trabalhada pelo alquimista. A primeira a ser estudada e compreendida. Pois é coletada, preparada e utilizada em quase todas as operações. Conforme se pode ler no Evangelho de João, Deus tirou a Natureza do nada pela virtude de Seu Verbo, que Continue lendo

Espagiria: Melissa Officinalis e a Insônia

Espagiria: Melissa Officinalis e a Insônia

Foto: Melito de erva cidreira. Um preparado espagírico à base de mel com as propriedades medicinais da erva cidreira (melissa officinalis). São necessárias várias semanas para o seu preparo. Todas as nossas preparações espagíricas são para consumo próprio e doação. Melissa Officinalis A melissa officinalis (erva cidreira) adapta-se ao tipo humano dócil (astrologicamente caracterizado no tipo Vênus). É o indivíduo do qual se diz geralmente “Não faz mal a uma mosca” e cujo equilíbrio pode ser minado pela falta de ligações com o próximo, e Continue lendo

Na Soleira da Porta Alquímica

Na Soleira da Porta Alquímica

Na Soleira da Porta Alquímica, transformando-se em mulher, a Arte Real desceu à terra e passou a procurar por um marido. Primeiro, procurou entre os buscadores. Depois, entre os que se chamavam “alquimistas” e entre os apaixonados pela Pedra Filosofal… Depois, procurou entre os reclusos e entre os estudiosos da Ciência Hermética. Em seguida, procurou entre os filósofos fechados em seus laboratórios. Passou pelos bosques, aprofundou-se pelas escuras florestas, escalou montanhas e os mais altos picos. Andou pelas cidades, por becos e vielas, no meio da Continue lendo

Alquimia e Espagiria: Reflexões Esparsas

Alquimia e Espagiria: Reflexões Esparsas

Introdução Este artigo tem uma estrutura um pouco diferente dos outros textos publicados anteriormente. São pequenos apontamentos esparsos sobre espagiria e alquimia. Fruto do que temos aprendido ao longo da Jornada. Algumas diferenças entre espagiria e alquimia Muitos praticantes da Sagrada Arte, e diversos autores, no passado e atualmente, diferenciam espagiria de alquimia. Nós, sempre que possível, designamos todos os processos da Arte como alquimia, para simplificar a abordagem. Deixando a diferenciação quando tratamos de assuntos específicos de cada matéria ou para os estudos sistemáticos Continue lendo

Tarô: O Louco e a Grande Obra

Tarô: O Louco e a Grande Obra

Minha primeira leitura esotérica foi através de uma revista chamada “Destino”. Uma edição especial que trazia um jogo de tarô com os Arcanos Maiores (22 lâminas) para serem destacadas uma da outra. Desde então, venho praticando e meditando sobre o seu simbolismo, com o objetivo de autoconhecimento. Recentemente, comecei a relacionar o simbolismo alquímico com o tarô. E, neste artigo, exponho uma análise do Louco com alguns aspectos da Grande Obra. Espero que sirva de inspiração para outras análises. No Tarô, o Louco é sempre Continue lendo

Alquimia Prática: 8 livros para você tornar-se um Alquimista Operativo

Alquimia Prática: 8 livros para você tornar-se um Alquimista Operativo

A dimensão operativa (laboratorial) da alquimia é um assunto que gera muitas controvérsias. Existe uma corrente que acredita ser desnecessária a prática laboratorial. Pois, supõe ser metafórica as referências às operações alquímicas, a despeito de todas as ilustrações feitas por alquimistas e seus  respectivos diários onde são descritos muitos procedimentos. Outra corrente, operativa, não concebe a alquimia sem a matéria. Pelo princípio das correspondências, operam na matéria: Além de purificá-la, transformam-se juntos. Ou seja, a retificação interior faz parte do processo. Não é nossa intenção apontar Continue lendo