Daniel Fidélis

Alquimia e Espagiria: Reflexões Esparsas

Alquimia e Espagiria: Reflexões Esparsas

Introdução Este artigo tem uma estrutura um pouco diferente dos outros textos publicados anteriormente. São pequenos apontamentos esparsos sobre espagiria e alquimia. Fruto do que temos aprendido ao longo da Jornada. Algumas diferenças entre espagiria e alquimia Muitos praticantes da Sagrada Arte, e diversos autores, no passado e atualmente, diferenciam espagiria de alquimia. Nós, sempre que possível, designamos todos os processos da Arte como alquimia, para simplificar a abordagem. Deixando a diferenciação quando tratamos de assuntos específicos de cada matéria ou para os estudos sistemáticos Continue lendo

A Egrégora

A Egrégora

Já aconteceu com você de sentir-se particularmente feliz em um lugar qualquer, particularmente à vontade, sem razão aparente? Ou após uma reconfortante reunião ou encontro com amigos, você saiu satisfeito, sentindo-se em união perfeita com todos? Por outro lado, aconteceu com você de sentir-se oprimido ao entrar em determinado recinto? Esses estados de espírito podem vir de nossa percepção da egrégora do lugar. O que é uma Egrégora? Ao se reunirem, os seres formam, pela união de sua vontade, um ser coletivo novo chamado Egrégora. Continue lendo

Tarô: O Louco e a Grande Obra

Tarô: O Louco e a Grande Obra

Minha primeira leitura esotérica foi através de uma revista chamada “Destino”. Uma edição especial que trazia um jogo de tarô com os Arcanos Maiores (22 lâminas) para serem destacadas uma da outra. Desde então, venho praticando e meditando sobre o seu simbolismo, com o objetivo de autoconhecimento. Recentemente, comecei a relacionar o simbolismo alquímico com o tarô. E, neste artigo, exponho uma análise do Louco com alguns aspectos da Grande Obra. Espero que sirva de inspiração para outras análises. No Tarô, o Louco é sempre Continue lendo

Alquimia Prática: 8 livros para você tornar-se um Alquimista Operativo

Alquimia Prática: 8 livros para você tornar-se um Alquimista Operativo

A dimensão operativa (laboratorial) da alquimia é um assunto que gera muitas controvérsias. Existe uma corrente que acredita ser desnecessária a prática laboratorial. Pois, supõe ser metafórica as referências às operações alquímicas, a despeito de todas as ilustrações feitas por alquimistas e seus  respectivos diários onde são descritos muitos procedimentos. Outra corrente, operativa, não concebe a alquimia sem a matéria. Pelo princípio das correspondências, operam na matéria: Além de purificá-la, transformam-se juntos. Ou seja, a retificação interior faz parte do processo. Não é nossa intenção apontar Continue lendo

Tábua de Esmeralda

Tábua de Esmeralda

A Tábua de Esmeralda é o fundamento do Hermetismo. E (sem fundamentalismos) pode ser considerada o Credo dos Alquimistas. Todos os estudiosos no assunto devem conhecê-la, memorizá-la, e, principalmente, meditar em seu profundo significado. Nas antigas Escolas de Mistério, notadamente as Orientais, o iniciados recebiam pequenos textos para reflexão. E, deles, tiravam grandes ensinamentos. Atualmente, mais do que em qualquer outra época, nos acostumamos a receber uma grande quantidade de informação e conhecimento para, deles, tirarmos uma pequena reflexão. Ou seja, tendemos à preguiça intelectual e Continue lendo

Teurgia Ígnea

Teurgia Ígnea

“Todos os homens justos, todos os eleitos, serão as cauções do mundo, e será preciso que eles cumpram a sua missão, já que o próprio homem não a cumpre”. Louis Claude de Saint Martin Existem duas grandes possibilidades de cada ser humano reagir ao meio em que vive. Uma delas, de forma natural e instintiva (pelo seu longo sofrimento na Terra), a chamada Via Natural; Outra, de forma objetiva e consciente (por intermédio da evolução que a prática do Conhecimento possibilita) a Via Úmida – Solar – fundamentada Continue lendo

O casal alquímico

O casal alquímico

Em seu livro História Geral da Alquimia (leitura obrigatória na IHSA), Serge Hutin expõe uma nota interessante sobre o trabalho do(a) alquimista. Ele fala do simbolismo e da importância da cooperação entre o casal (Coração) para levar adiante o trabalho alquímico. Não devemos deixar de estabelecer a diferença existente entre o caso (muito frequente) em que a companheira do alquimista se limita – o que já é algo importantíssimo, se pensarmos nos inúmeros casais nos quais reina a discórdia, ou um dos dois (e não Continue lendo

Operações da Natureza

Operações da Natureza

Sublimação, destilação e convocação são os três instrumentos ou métodos de operar que a Natureza emprega para perfazer suas obras. Pela primeira, lança fora a umidade supérflua, que sufocaria o Fogo, e obstacularia sua ação na terra ou matriz. Pela destilação ela devolve à terra a umidade da qual a vegetação ou o calor a privou. A sublimação é feita pela elevação dos vapores pelo ar, onde se condensam em nuvens. A segunda é feita pela chuva e orvalho. O bom tempo sucede à chuva, Continue lendo

A Tarefa do Alquimista

A Tarefa do Alquimista

Os autores que escrevem sobre Alquimia têm o hábito de fazer tantos comentários preliminares que suas obras praticamente dispensam a necessidade de um prefácio, a não ser que o Editor se proponha a revelar os segredos que o Autor é tão cuidadoso em esconder. Devo, de imediato, explicar que não estou preparado para fazer isso; entretanto, posso, com vantagem, chamar sua atenção para as outras ramificações da ciência Oculta, demonstrar o valor da Analogia em nossa busca pelo real significado dos mistérios do homem e Continue lendo

Dicas de como montar e organizar sua biblioteca

Dicas de como montar e organizar sua biblioteca

Vivemos em uma época onde a informação está ao alcance de alguns cliques. Nunca, em toda a história, o ser humano teve acesso a tanta informação. Quando eu cursava o ensino fundamental (o antigo 1º Grau) tínhamos que nos deslocar até o Centro do Rio de Janeiro a procura de bibliotecas que dispusessem de boas obras referentes ao assunto do trabalho que o professor passava. Passávamos um ou dois dias folheando os livros, anotando ou “xerocando” várias páginas. Depois, íamos à casa de alguém do Continue lendo