Fraternidade – O que é isso?

Existe uma palavra que vem frequentando os vocabulários atuais já há algum tempo, que é adorada pelos partidos políticos e que está escrito nas paredes de nossos edifícios públicos e que, mesmo assim, ainda não foi compreendida e raramente é posta em prática. Essa palavra é Fraternidade.

O que é fraternidade? É o sentimento que toda pessoa elevada deveria ter em seu coração, e que nos leva a considerar todos os seres como membros de uma família a quem devemos amor e proteção.

É a falta desse espírito de fraternidade que engendra, em primeiro lugar, a inveja e o ciúme, falatórios maldosos, ódio e, finalmente, a violência.

Assim, devemos nos lembrar de que, na vida, todos os homens estão experimentando um momento de seu desenvolvimento, e que todos estão almejando a perfeição, que está mais ou menos distante. Todos são alunos de uma grande escola, mais ou menos adaptáveis, mais ou menos rápidos em seu aprendizado. Ao entendermos isso, teremos dado um grande passo na direção do verdadeiro espírito de fraternidade.

O que está envenenando nossa era é que, muitas vezes julgamos as pessoas por seu sucesso material, pelo tamanho de sua conta bancária, pelas posses que conquistaram, e não por seu valor moral e espiritual. Porque o valor moral é o único que conta, o único que tem valor verdadeiro e que perdura. Inveja, ciúme, intolerância, não são apenas sentimentos ruins, eles são também perigosos, assim como o julgamento precipitado, o preconceito desfavorável (tão comum atualmente) e a disseminação de comentários maliciosos e terríveis. Não é necessário conhecer muito de magia e de suas forças para saber o que significa “reação” ou “choque de retorno”.

Assim como bons pensamentos atraem forças úteis e boas para nós, os maus pensamentos provocam a ativação das forças ruins. Provavelmente, a inveja e a falta de fraternidade podem acumular muito mais tempestades e tormentas sobre nossas cabeças do que os maus pensamentos.

Existem, certamente, alguns lugares onde esse espírito de fraternidade é particularmente reverenciado e bastante desenvolvido. Tratam-se das Ordens Iniciáticas e Escolas Herméticas, onde se tenta desenvolver a espiritualidade dos membros, ensinando-os a praticar as elevadas virtudes, das quais a fraternidade é uma das mais importantes.

Sabemos que há manchas no sol e que, assim como em todos os lugares, existem pessoas que disfarçam, sob uma bela cobertura, pensamentos de inveja ou de ambição pessoal. Mas existe o quotidiano, essa vida diária no formigueiro que é este mundo, onde nos acotovelamos com vizinhos, colegas, ou sócios. Se adquirirmos esse hábito, relativamente simples, de considerar nosso vizinho, colega, ou sócio, não como tais, mas como, antes de qualquer outra coisa, nosso irmão, sujeito às mesmas leis de evolução que nós, como as coisas se tornariam mais fáceis e como a vida diária seria bem mais agradável para todos.

Em todos os empregos, em todas as profissões, observamos essa tendência de fazer nosso vizinho parecer pequeno para nos engrandecermos, ou até com a intenção de tomarmos o lugar dele! Não é a humanidade, mesmo em tempos de paz, a verdadeira imagem de uma selva?

A fraternidade tem sido chamada de “ódio vigilante”. A pessoa é capaz de enxergar um cisco no olho do outro, mas não vê uma farpa no seu próprio. Vamos primeiro tirar a farpa de nossos olhos para podermos ver as coisas com mais clareza!

Além disso, devemos considerar que cada um de nós tem uma missão, ou talvez, várias missões.

Temos de estabelecer ou, pelo menos, tentar estabelecer, uma grande fraternidade no mundo. E como poderemos fazer isso se não tivermos antes, paz em nossos corações, e se não removermos de dentro de nós os sentimentos negativos de inveja, ciúme e ódio?

Quando conseguirmos isso, teremos o alvorecer de uma nova ordem mundial de paz e justiça.

Temos de criar ao nosso redor, em nosso dia-a-dia, em nossa existência diária, uma atmosfera de serenidade, benevolência e de paciência, que é a base do espírito fraternal.

Devemos tratar a todos, se não como um amigo, pelo menos como um irmão, qualquer que sejam seus erros de comportamento. Devemos considerar que, do mesmo modo que o caminho dele é tortuoso e difícil, o nosso já foi assim, ou pode vir a ser no futuro; e que, aquele irmão que está em dificuldades, merece nossa compaixão mais do que qualquer outro. Vamos, pelo menos, tentar entendê-lo. Porque se sempre fizermos um esforço para entendermos o outro, seremos muito menos impiedosos, arrogantes e indiferentes! Até mesmo em relação aos erros do outro, que são os fardos em seu difícil caminhar. Vamos estabelecer uma regra para nós mesmos: antes de tentar ver os defeitos e os erros do outro, por que não trabalhamos para descobrir as qualidades dele, suas virtudes e bons sentimentos, tudo o que pode nos aproximar dele, tudo o que pode ser aproveitado e desenvolvido. Isso seria muito mais frutífero do que pensar sempre, em primeiro lugar, no que pode nos afastar.

O mesmo ocorre em um grupo, seja uma família, uma associação, ou a própria sociedade. Quando alguns de seus membros cometem erros ou sucumbem a fraquezas, é a fraqueza que deve ser destruída, não os membros! Portanto, ao invés de condenar, perseguir e brigar, seria melhor tentar convencer pelo exemplo, acima de tudo, e, por meio de uma atmosfera saudável, tentar destruir os aspectos indesejáveis de maneira natural.

Infelizmente, temos nossas imperfeições, e ninguém está isento delas. Vamos tentar corrigi-las, antes de tentarmos posar de juízes dos erros dos outros. Essa seria a atitude correta e que funcionaria bem. Ao tentarmos corrigir nossas falhas de forma consciente, nos transformaríamos, automaticamente, em exemplos para os outros e todos sairiam ganhando com isso. Se não formos indulgentes conosco mesmos, se nossas mentes seguirem sempre o caminho correto, adquiriremos aquela serenidade moral que abre o coração para a intuição e para a compreensão do outro.

Uma das leis gerais do espiritualismo é que devemos ser severos para julgar a nós mesmos e amigáveis e compreensivos com o outro. Isto não significa cegueira, nem cumplicidade, nem indulgência, mas cuidadosa e gentil vigilância para guiar um homem cego. Mesmo se acreditarmos que nosso companheiro não está completamente cego, não vamos nos esquecer de que ele, se tivesse realmente o completo conhecimento, não teria cometido todos aqueles erros que nos incomodam e que tanto condenamos.

Quanto àqueles que parecem andar à espera de que um tapete vermelho lhes seja estendido, vamos ter certeza de que não os invejamos, nem guardamos ressentimentos. A vida, com todos os seus meandros, apresenta inúmeras armadilhas, mesmo para aqueles que parecem estar mais bem preparados!!! Nunca inveje o destino do outro. Nós não sabemos que provações severas esperam por eles amanhã, e pode ser que jamais venhamos a saber. Frequentemente também não sabemos, quando julgamos com tanta facilidade, que dificuldades um irmão, em melhor situação que nós, teve de enfrentar no passado, ou que penas silenciosas estão escondidas atrás das aparências que interpretamos tão precipitadamente.

Devemos evitar invejar do mesmo modo que devemos evitar condenar, e fazer o melhor uso possível das ferramentas que a vida nos dá; devemos espalhar pensamentos positivos e elevados ao nosso redor e pelo mundo todo, pensamentos que têm tanto poder, mas aos quais não prestamos muita atenção.

Finalmente, deveríamos também pensar que nós temos a missão superior de, dentro de nossa capacidade, ajudar no desenvolvimento espiritual de todos os Irmãos, sem exceção. Ainda não encontramos melhores ferramentas para esse trabalho do que a bondade, a caridade e a Fraternidade.

Que você possa sempre habitar na Eterna Luz da Divina Sabedoria.

Assim Seja!

MAIS INSPIRAÇÃO

Receba mais inspiração para a sua Jornada, GRATUITAMENTE colocando o seu email abaixo!>

29 Comentários


  1. Obrigado irmãos e irmão Kohen.
    Artigos sempre valiosos e com conteúdo claro .

    Responder

  2. Amado irmão. Eu entendi que a fraternidade,é colocar a todos como irmãos não só pertencentes a um grupo,mas todas as pessoas que vivem nessa terra porque somos todos filhos do mesmo pai. nosso Criador. è facil manter esse sentimento por quem nos trata bem, mas quando são pessoas que não tem a mesma visão que nós. que as vezes são mais ríspidas e sem cordialidade é dificil . E as vezes são a maioria,no nosso trabalho e no nosso dia-a dia . Mas através de nossas atitudes podemos ganha-las para seu crescimento espiritual,aprenderem através da bondade e da erdade que precisam tanto quanto nós a cada dia se melhorar e. Mas quanto a pessoas realmente más, como vivem no nosso país hoje governando. Não temos acesso a elas. Prejudicam muita gente. Como devemos agir? E quanto a sentimentos ruins que as pessoas tem por nós como a inveja, o que fazer para que não venha a atrapalhar nossa vida.? As vezes passam sentimentos que não são tao bos na nossa mente, eu sempre peço a Deus não deixar pensar ssim pra tirar isso do meu coração e funciona. Passa a raiva, a mágoa e daí eu fico bem. Obrigado por ter esse espaço para aprendermos e compartilharmos com os irmãos. Paz a todos : :

    Responder

  3. Prezados fratres e Sorores
    Este é um artigo para ser lido muitas e muitas vezes pois encerram verdades que não se apreendem numa única leitura.
    Como ferramentas para corroborar o que foi dito, gostaria de sugerir algumas obras de que me valho:
    Cantares de Salomão, O Santo Sepulcro (Zofia Kossak), Matrix (trilogia) e Avatar. É claro que há uma imensidão de obras que elevam o espírito humano,mas é preciso que tenhamos o desejo de consumi-las; do contrário nenhum efeito pode se esperar delas.
    Também o ritual de Egrégora tem sua eficácia quando posto em prática regularmente.
    Paz do Senhor

    Responder

  4. Palavras virtuosas, um longo trabalho a ser feito tanto pessoal quanto na edificação social!
    GRATIDÃO!!!

    Responder

  5. Este artigo encerra com tintas verdadeiras e conteúdo de suma relevância para um olhar lúcido sobre a condição humana. Realmente vale a pena ler e meditar em constância, observando os efeitos em nosso cotidiano, levando a cabo a tarefa de nos reconhecermos mutuamente como uma fraternidade.

    Responder

  6. Grato pela mensagem, e pelas sábias palavras… como todos os textos que sempre são postados, é muito enriquecedor.

    Muito bom para a exortação e edificação interior tanto pessoal quanto coletiva. Vem nos lembrar da necessidade de voltar-nos sempre a nós mesmos para analisar nossos atos, pensamentos e atitudes, afim de trabalhar nosso interior para alcançar o renovo espiritual, de nossa consciência e de nossas mente. Em prol do aprimoramento pessoal e coletivo.

    É uma forma de contribuir para o bem estar de todos, e de si mesmo.

    Obrigado irmãos, obrigado irmão Kohem.

    Responder

  7. Prezado Irmão Kohen,

    Aproveito a oportunidade para deixar minha gratidão relativa às suas sábias manifestações, sou estudante de Direito e priorizo essa graduação e mesmo sem poder me dedicar à Irmandade Hermética por enquanto, recebo seus ensinamentos, que me chegam com fluidez de alguém experiente, que já enfrentou muitas das turbulências da vida e que tenho certeza de que entende as dos seus irmãos, não só exprime o conceito fraterno como o pratica com assiduidade e sendo assim, com amor sincero.

    Gratidão sincera meu irmão e paz profunda.

    Responder

  8. O mundo está tumultuado. O texto do Ir:. Kohen, nos chega no momento mais apropriado possível. Ao aproximar o Natal, festa máxima da cristandade. época em que os corações vestem nova roupagem para celebrar a páscoa do menino Deus, é hora de reflexão sobre este simbolismo, buscando compreender a vida começando pelo nosso irmão sem preocupação de nacionalidade, cor, religião, buscando a tolerancia como embrião da Fraternidade. Estes bens morais nos trarão a ideia de Verdadeiros Irmãos. Agradeço ao Criador por receber pensamentos dignos de reflexão e meditação sobre o Poder do Criador e suas criaturas. Seja Feliz, meu Caro Mestre Kohen, na Luz Cósmica do Supremo Poder Espiritual. Assim Seja !

    Responder

  9. Muito bom texto. Excelente para refletirmos sobre o outro e nós mesmos.
    Gratidão

    Maria Eni

    Responder

  10. Fico muito feliz em saber que tenho me disciplinado à cada amanhecer na busca de viver fraternalmente. Ler esse artigo foi de grande importância em minha disciplina diária, farto em observações importantes em nosso cotidiano. Sou Grata pela oportunidade! Gratidão Gratidão Gratidão!

    Responder

  11. Senti uma certa melancolia no texto, talvez a mesma que sinto ao observar o mundo em que vivemos. Sempre fico a me perguntar por que é tão difícil para os seres humanos serem o que são em sua essência: Amor.

    Responder

  12. Estimado Irmão e Professor Kohen,
    saudações!

    Muita Luz e inspiração nas suas palavras, irei meditar e guardá-las no coração.
    E como foi dito acima, sobre esta ser talvez a última postagem do ano, quero desejar à todos os meus queridos frateres e sorores, uma boa passagem de natal, e um proveitoso e lúcido ano de 2016!
    Mestre, desejo expressar aqui, diante de todos, o meu sincero agradecimento pela oportunidade de adentrar nessa grande Escola de Mistérios, meu muito obrigado,
    estou muito feliz!
    um forte abraço, professor!

    Votos de Luz à todos!

    Responder

  13. Irmão Kohen!
    Gratidão pelo texto
    Estas palavras nos fazem reflexionar o quanto precisamos emanar luz à humanidade e a nós mesmos para que também não vacilemos, cair na tentação de tirar o “último pão de um irmão”,
    pela ganância e outros sentimentos.

    Responder

  14. Querido Ir. Kohen.

    Quero parabeniza-lo pelo excelente texto, o Ir. definiu com sabias palavras o real sentido do conceito Fraternidade.

    Quero agradecer pelos ensinamentos postados no site alquimiaoperativa, pois a cada post é um complemento para meus estudos.

    Que o G.A.D.U. lhe ilumine cada vez mais.

    Responder

  15. Estar manifestado na vida ,implica em uma consciência de pertencer a uma coletividade. Na participação desta manifestação, precisamos entender que a Divindade é multiplicidade e sendo assim, a pluralidade da natureza é perfeita por ser um ambiente onde todos tem um espaço para o desenvolvimento.
    Cada um sendo reconhecido como indivíduo, que sente, evolui dentro de sua dinâmica e precisa ser respeitado no processo de maturação de sua humanidade, nos abre espaço para uma consciência do direito do outro ser. Respeitando o outro, respeitaremos também a nós mesmos, pois o mais próximo do próximo somos nós mesmos.
    Atos coerentes em nosso trajeto aqui no mundo da forma, implica no respeito ao amor nutriz que nos gerou e a energia luminosa que nos colocou em movimento. Ser humano requer respeito acima de tudo, integridade e noção ampla de que necessitamos ter uma sociedade onde todos caibam.
    Na excelência de realmente sermos humanos , no mais puro que isso signifique, o olhar para o outro é um olhar para si mesmo enquanto irmãos que somos e pertencentes a uma mesma manifestação.
    Viemos aqui para aprender a amar. Para nos percebermos como partes de uma luz maior, que vai sendo despertada no coletivo, a partir do momento que cada um trasborda seu amor.
    Estamos todos fazendo o mesmo caminho, a mesma jornada.
    Que a paz, o amor e a verdade possa florescer em nossos corações!
    Um ótimo manifestar humano para todos nós!

    Responder

  16. Bom dia, caríssimo irmão. Obrigado pela mensagem plena de lucidez, coragem e admoestação valiosa para tempos sabidamente em franca transição planetária. Não há o que dizer em complementação. Seu artigo fala-nos por si próprio. Belas palavras cheias de sabedoria.
    Abraço fraterno. Que o ano vindouro seja repleto de boas realizações para você e sua Irmandade.
    Antônio Augusto. Frater Hermes.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *