Diferença entre: Ritual, Iniciação e Auto-iniciação - Alquimia Operativa

Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Esoterismo

Diferença entre: Ritual, Iniciação e Auto-iniciação

Daniél Fidélis
Escrito por Daniél Fidélis em 04/03/2021
Diferença entre: Ritual, Iniciação e Auto-iniciação
Junte-se a mais de 30 mil pessoas

Faça parte do nosso Círculo Interno de Leitores para receber conteúdos exclusivos semanalmente (é grátis):

Apesar destes dois termos – Ritual e Iniciação – serem comuns no meio esotérico, percebemos que ainda existe muita confusão a respeito do significado mais tradicional.

Muitos estão convencidos de que, por terem passado por um ritual de iniciação, são Iniciados.

Neste artigo, apresentamos a conceituação de cada um destes termos de forma simples e objetiva.

Somente após o alquimista ter sutilizado seus pensamentos, suas palavras e suas atitudes; e após ter transformado seu centro cardíaco em um manancial de luz para o próximo é que completará sua Iniciação e terá realizado a Grande Obra interna. Então, poderá ser chamado de Adepto.

Daniél Fidélis ::

Ritual

A palavra Ritual vem do latim Ritualis.

De uma forma ampla, o ritual designa um conjunto de procedimentos, ritos, atos, conjunto de práticas sequenciadas que têm um objetivo específico.

No meio jurídico, por exemplo, temos o rito processual (procedimento), que é uma sequência de atos processuais, ordenadamente encadeados. É a exteriorização de um processo.

No contexto esotérico, o conceito é exatamente o mesmo, observando-se as seguintes particularidades:

Número de participantes

Independentemente de haver pessoas assistindo, um ritual pode ser executado por um conjunto de operadores ou por apenas um.

O que determina o número de operadores ou oficiais ritualísticos é a tradição da Escola onde o rito é praticado.

Objetivos

A finalidade do ritual varia bastante.

Pode ser uma formalidade cerimonial que marca o início, a entrada ou a aceitação das normas de uma Escola, Ordem ou Sociedade por parte do novo membro.

Pode ser a transmissão de um conhecimento. É comum, em algumas tradições esotéricas, a exigência de que determinado conhecimento seja comunicado de forma ritualística.

E, existem rituais cujo objetivo é o de celebrar um evento (data comemorativa, estação do ano, fase da lua etc.) ou devocional (prestar culto a um deus ou buscar conexão com o plano divino).

Há, ainda, rituais com objetivos mágicos: consagrar um objeto, proteção, cura, pedir auxílio ou inspiração aos planos superiores etc.

Por fim, o que gera maior equívoco: ritual de iniciação.

Este é o assunto do próximo tópico.

Não saias de ti, mas volta para dentro de ti mesmo; a verdade habita o coração do homem.

Santo Agostinho

Iniciação

Vem do latim initiatio. Existe um duplo significado. A iniciação pode ser:

1. Um ritual de admissão em uma Escola;

2. Um processo de elevação interior. Nem sempre os dois processos ocorrem juntos.

Ritual de Iniciação

Neste sentido, a iniciação define a admissão em determinado grupo. Ou, ainda, a uma nova etapa (Grau) neste mesmo grupo.

Então, quando se diz que uma pessoa é iniciada nesta ou naquela Sociedade, significa que ela passou por uma formalidade ritualística de admissão após satisfazer os requisitos do grupo.

Normalmente, estes rituais de iniciação são dramatizações de princípios esotéricos e etapas que o novo iniciado deve conquistar.

Funcionam como gatilhos que despertam a consciência para uma nova realidade.

Por isso, muitas sociedades esotéricas esmeram-se em criar um ambiente o mais real possível, fazendo o candidato vivenciar aquilo que se deseja transmitir.

No Antigo Egito, por exemplo, os ritos de admissão duravam dias e exigia bastante condicionamento físico. Muitos desistiam. Pois, as dificuldades impostas servem para submeter à prova a sinceridade e força de decisão do candidato.

Iniciação – Elevação Interior

O processo iniciático nos leva a visitar o nosso centro, nosso interior, a olhar para dentro de si mesmo e desejar mudanças positivas.

Neste sentido, a iniciação é um processo de retificação interior. Está centrada na transformação de um estado em outro, mais refinado.

Portanto, a iniciação é o resultado de um esforço consciente rumo à exaltação espiritual.

Uma pessoa pode submeter-se a inúmeros rituais de iniciação, em diversas vertentes esotéricas, e continuar sendo um ser totalmente bruto.

Enquanto outra, pode alçar posições espiritualmente elevadas sem, no entanto, jamais participar de qualquer ritual de iniciação.

Ou seja, são processos totalmente independentes.

Portanto, não faz o menor sentido afirmar que a exaltação espiritual provém da realização de um ritual.

Cada pessoa possui um caminho de elevação.

Lamentavelmente, muitos tentam impor aquilo que funciona para si como uma verdade universal.

Para alguns, o processo de crescimento será mais fluído servindo-se de rituais (individuais e/ou em grupo). Para outros, pelo simples estudo e aplicação de princípios esotéricos. Há, ainda, um terceiro grupo, onde a harmonia dos dois métodos funciona de forma muito eficaz.

O Ritual acontece fora; a Iniciação, em nosso interior.

Daniél Fidélis ::

Agora, um ponto bastante controverso:

Auto-iniciação

Primeiramente: o que é a auto-iniciação?

Normalmente, trata-se de um Ritual de Iniciação onde o próprio candidato conduz a ritualística. Tem a sua utilidade. No entanto, temos algumas ressalvas em relação a esse método.

O que diz a tradição da Escola ou da Ordem à qual a pessoa está vinculada? Ela se posiciona sobre o assunto?

Em algumas Ordens, a tradição determina que todos os rituais devem ser feitos em um Templo, havendo a distinção entre “candidato” ou “iniciando” e “iniciador”. Logo, não existe auto-iniciação nesses grupos.

Em outras Ordens Iniciáticas ou Tradições existe a possibilidade da auto-iniciação como alternativa. Nestes casos, o membro é orientado na maneira de se realizar o ritual, cuja função é mais simbólica, para marcar emocionalmente e, em alguns casos, espiritualmente, aquele momento especial.

A auto-iniciação tende a se afastar da Tradição Esotérica na medida em que “iniciando” e “iniciador” são confundidos na mesma pessoa e tudo é permitido, sem qualquer critério ou orientação. Ou seja, não existe a presença de um mentor (físico ou espiritual).

Espero que o artigo tenha esclarecido estes importantes conceitos.

Não deixe de cadastrar o seu email, caso ainda não faça parte do nosso Círculo Interno de Leitores (gratuito):

Cadastre-se para receber conteúdos exclusivos

Círculo Interno de Leitores

O que achou do conteúdo?

Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 Replies to “Diferença entre: Ritual, Iniciação e Auto-iniciação”

Rostenio Rodrigues de Oliveira

Parabéns, excelente adquirir um refinamento é uma iniciação.

Namur

Muito bom o conteúdo, explica de forma simples e analisa os pontos principais. Tinha dúvidas e esclareci todas.
Obrigado

Giovani Rodrigues

Bom dia Daniel e todos os estudantes do oculto.
Texto muito instrutivo, bem escrito e didático, parabéns a todos os envolvidos na Alquimia Operativa.

Eli

Foi com muita satisfação que cheguei ate este conteúdo e a esta página, obrigada. Começo um novo caminho rumo ao conhecimento da Alquimia , que para mim ainda é uma área desconhecida, mas que sempre me encantou.

Amalia P.Batista

Conteúdo bem esclarecedor.

Yasser

Gostaria de maiores informações.
Algum número que eu possa ligar ?

Sheilla Maria Costa Câmara Alencar

muito interessante – eu mesma me auto iniciei na wicca lendo e seguindo as orientações de uma escritora bruxa a Gweena Davis – fiz o ritual numa lua cheia – puz a roupa branca tracei o círculo visualizei os arcos de luz prata e dourada dos deuses e escolhi Celene como minha deusa de iniciação – na mesma noite antes da hora da iniciação como bruxa – a meia noite – eu já havia feito a iniciação dos anjos também seguindo a escritora angeóloga Monica Buonfiglio – a qual gosto muito e até hoje sigo seus youtubes – o que posso dizer de uma iniciação > fui iniciada por uma monja na Ananda Marga e senti e ouvi a presença do guru – Ananda Marga é uma seita oriental – e como tal a telepatia é normal – recebemos um mantra secreto e não podemos quebrar o sigilo – pelo que vejo a quebra de sigilo é um tabu numa iniciaçao oriental – no Reiki voce recebe a iniciaçao e tem de sentir que recebeu para que sinta o efeito dela – da iniciaçao – hoje eu penso como no conteúdo acima que uma iniciação é um caminho espiritual muito individual – sem culpa e sem castigo – compromisso consigo –