O Cultivo de uma atenção continuada leva à Ioga

A condição mental dispersa, desgarrada ou semi acordada não é o estado voltado para o interior do verdadeiro místico ou vidente alerta. A imobilidade desse estado, conforme palavras de D. A. Baker, um místico beneditino, “é a imobilidade da águia em seus altos voos, cortando o azul com as asas imóveis. É o repouso que nasce de uma soma incomum de energia atualizada, o repouso produzido pela ação, despercebido por ser tão veloz, tão próximo, tão realizador”.

O estado final da Yoga, que é chamado Samadhi, é um estado de equilíbrio e calma, de imobilidade e beatitude, que vem de uma percepção tremendamente aumentada e que alça voo para além das regiões alimentadas pelos sentidos e pela mente. Não se trata de um estado semiconsciente, mas super consciente, no qual o interior do homem torna-se brilhante como o sol, e os saltitantes feixes de luz da consciência penetram em regiões para sempre fechadas ao olhar daqueles que não atingiram o estado terminal do cérebro, indispensável para a iluminação.

O ponto a ser particularmente enfatizado é que, tratando-se do paranormal e do transcendental, temos de distinguir entre os estados produzidos por dois métodos diferentes de abordagem do oculto e do divino. Um deles é o cultivo da atenção até o ponto que está inseparavelmente presente em todas as mentes excepcionalmente talentosas, onde ela pode permanecer na calma focalização de um objeto, ou de um sujeito, por prolongado período de tempo, sem esforço ou cansaço visíveis. Outras ideias, ou mesmo ligeiras impressões externas que vêm através dos sentidos, são excluídas. Esse é o poder da atenção absorta, característica de um Newton ou de um Einstein, ou de outros prodígios do conhecimento e da intelectualidade.

Esse poder de atenção continuada pode ser cultivado por esforço voluntário. Todos os métodos saudáveis da Ioga são designados para esse fim. Um iogue bem preparado ganha a possibilidade de manter facilmente uma continuidade ininterrupta de atenção absorta, da mesma forma com que um perito ciclista, ou nadador, ganha a possibilidade de manipular sua máquina ou manter-se à tona facilmente, sem esforço visível. “Com a mente sem divagar sobre qualquer outra coisa, harmonizada pela prática contínua, constantemente meditando, Ó Partha”, diz o Bhagavad Gitâ (8.8), “a pessoa vai para o espírito, Supremo, Divino.” Nesse processo acontecem certas modificações biológicas no cérebro, modificações que não precisamos discutir com pormenores aqui. Essa perfeição biológica já está presente no cérebro do homem de gênio, do intelectual destacado e do místico inato.

Outro método é o da descida voluntária para o subconsciente por meio da auto-hipnose, de formas passivas de meditação, da vacuidade do pensamento, deixando a mente divagar, ou com a fadiga, deliberadamente obtida, dos nervos ópticos ou auditivos. Há centenas de métodos em uso na Índia, no Tibete e na China para criar esses estados passivos, sonolentos, vazios ou visionários. Os que os praticam, deparando-se com vívidas experiências visionárias, ou enfrentando, face a face, espetáculos fantásticos apresentados pelo subconsciente, muitas vezes aceitam isso, em sua ignorância, como sinais de um despertar espiritual, o que está muito longe de ser verídico.

Por exemplo: na Índia, e em outros lugares, alguns dos Sadhakas são solicitados a olhar fixamente para certos diagramas complicados que os fascinam, e, ao mesmo tempo, aturdem a mente, tais como uma mandala, triângulos ou círculos entrecruzados, um pingo de tinta sobre a unha do polegar ou certos sons, como o mantra Aun, ou o próprio reflexo no espelho, especialmente o reflexo dos olhos, com um estado mental relaxado, divagador ou passivo.

Em outros casos, eles olham fixamente para um círculo preto, pendurado a uma parede, ou para o céu, ou apenas observam, como espectadores, o fluxo da veloz torrente de pensamento, ou imaginam vibrações de força vindas de seu preceptor, etc. Os pensamentos podem, às vezes, fluir sem restrições para onde quer que desejem. O resultado é óbvio.

Muitos dos membros de nossa Irmandade relatam este tipo de dificuldade, principalmente no início da segunda etapa, quando dedicam-se à prática da concentração.

Em muitos casos, depois de intervalos que variam, acontecem um transe ou uma condição semi desperta. Os que praticam começam a ter extraordinárias experiências visionárias, como as que são descritas pelos que praticam formas passivas, ou de mente em branco, quando em meditação. Mas essa condição está tão distante da iluminação quanto o Polo Norte está distante do Polo Sul.

Esses são os mesmos métodos e os mesmos artifícios usados pelos modernos hipnotizadores para provocar o transe sonambúlico em seus pacientes. Eles usam espelhos giratórios, luzes cintilantes, bolas de cristal, curiosos desenhos geométricos, várias oscilações, sons monótonos, ou música fantástica, com estado mental passivo, a fim de produzir a condição hipnótica. Mas onde está a diferença, se em lugar de olhar para os olhos de um hipnotizador alguém olha para o reflexo de seus próprios olhos num espelho, ou para os olhos de um companheiro, em busca da mesma condição mental?

Muitas vezes nos deparamos com o que está em nosso subconsciente quando ficamos sob a influência de drogas ou sonhos. As drogas embotam ou desfiguram a consciência de superfície. O que o êxtase místico revela é um estado superlativo de percepção, que transcende tanto a mente consciente como a subconsciente, revelando o universo sob uma nova luz, jamais observada antes.

É surpreendente ver o quanto podem ser sugestionáveis mesmo os altamente inteligentes e os eruditos. Seu saber ou perspicácia intelectual não podem protegê-los quando caem vítimas das tendências inatas da mente. Eles deixam de compreender que quando um mestre espiritual – depois de expor certo método de disciplina ou de controle mental – diz que, com a prática, logo verão coisas estranhas, ou terão experiências sem igual, está plantando uma sugestão que um dia dará frutos.

Iluminação e transe hipnótico

O Cultivo de uma ateno continuada leva Ioga 3 - Alquimia Operativa

Não é de surpreender, portanto, que algumas pessoas tratem o estado de iluminação e o transe hipnótico como coisas idênticas. Se forem continuadas por prolongados períodos, em grande escala, o efeito dessas práticas será realmente regressivo e antievolucionário. A estagnação mental que manteve o outrora espiritualmente avançado povo da Índia, e de outros lugares, ligados a ideias e crenças errôneas durante séculos, até serem salvos da rotina, recentemente, pela difusão do conhecimento, foi, de certa forma, devida a essas práticas negativas e antievolucionárias.

É característico do impulso evolucionário que opera na raça que uma mente muitíssimo inteligente, ou, digamos, uma consciência mais evoluída, procure um modo de fugir da prisão racional formada pelos sentidos e pelo intelecto. A forma natural de satisfazer esse anseio mediante uma porção maior de liberdade para o espírito é despertar as forças adormecidas do corpo – forças essas fornecidas pela natureza – a fim de efetuar a necessária transformação do cérebro. Os métodos eficazes para alcançar esse objetivo são os mesmos que a natureza instituiu para que se ganhe a perfeição em todos os ramos do conhecimento e da inteligência: persistente aplicação mental, estudo e prática feita de forma saudável. Esses métodos, quando aplicados à mente e à consciência, levam àquele estado intuitivo que tem sido o manancial de todo o conhecimento metafísico ou espiritual conquistado pela humanidade.

O uso de métodos para descer ao subconsciente, para ter experiências sobrenaturais, pode ser apontado desde períodos remotos da história. Tais métodos têm sido, quase que invariavelmente, um acessório das práticas religiosas dos povos primitivos. Eles também são usados em magia, feitiçaria, bruxaria e necromancia. É uma pena que muitos cientistas dedicados, agora engajados nessa investigação, não tenham conseguido fazer distinção entre esses dois métodos antagônicos de abordagem do transcendental.

O uso dessas práticas para alcançar o subconsciente a fim de ter experiências fantásticas, ou mesmo agradáveis, nunca produziram um grande gênio ou um vidente iluminado. Se esse tipo de meditação e de cultivo da mente estivesse conforme com as tendências naturais da psique humana, então seria nas antigas terras altas do Tibete e nas férteis planícies da Índia e da China que a safra de gênios que floresceu na Europa e na América nos séculos XVIII e XIX teria nascido. Nesse caso, a Índia nunca teria deixado de reproduzir uma reiterada safra de gênios espirituais e de videntes iluminados, como os que iluminaram o período upanixádico. O fato de não ter acontecido isso constitui um claro testemunho de que algo estava faltando na organização social, na vida, no pensamento e nas práticas religiosas que se seguiram ao período ascendente da idade védica.

A credulidade, a inércia ou a ignorância dos eruditos modernos, nessa esfera de vital importância para o progresso e a segurança da raça, estão na origem dessa confusão. A ciência, até agora, tem estado preocupada principalmente com a descoberta de leis que regem o universo material e a estrutura biológica do homem. Através de seus esforços, a humanidade alcançou, agora, uma elevação intelectual na qual ela se vê obrigada a conhecer as leis de sua mente e de sua consciência em evolução. Isso requer um prolongado e profundo estudo do fenômeno, tal como o que foi devotado a outros campos do conhecimento nos últimos duzentos anos.

Os métodos atuais, arbitrários e sem sistematização, dirigidos ao entendimento da natureza do êxtase místico e à meta da evolução da mente humana – como o biofeedback, a hipnose, as drogas e tudo o mais – só podem ser considerados como salto no escuro de um pico rodeado de profundezas abissais por todos os lados.

Mente livre

O Cultivo de uma ateno continuada leva Ioga - Alquimia Operativa

O objetivo do processo evolucionário é libertar cada vez mais a mente autoconsciente do homem da escravidão do subconsciente a fim de capacitá-lo a chegar aos níveis da cognição que, na presente condição de cativeiro, ele jamais poderá alcançar. Tal como um homem acordando de um sonho assustador retorna ao seu estado normal com profunda sensação de grato alívio, também o vidente acordado contempla, com alegria e gratidão, o transcendente estado do ser recentemente alcançado, livre da entorpecedora prisão do mundo sensorial. Esse processo de libertação é muitíssimo retardado quando a mente consciente falha no afirmar-se e submeter-se, docilmente, às ordens do subconsciente.

A evolução espiritual não implica maior habilidade na penetração das regiões da mente humana que se situam logo abaixo da superfície, mas concorre para elevá-la a níveis de percepção que ela jamais possuiu antes. Todo o progresso da humanidade tem sido consequência desse aumento da percepção de mentes bem dotadas.

As mais graves desorganizações da civilização moderna devem sua existência à deplorável carência de métodos salutares de cultivo da mente e de formação de caráter para se adaptarem aos processos evolucionários interiormente ativos. Outrora, a religião, até certo ponto, supria essa necessidade vital. Agora, porém, nova orientação é exigida. Os indivíduos que nascem com a consciência mais aberta e dotados de inteligência excepcional são assim atirados num mundo inteiramente esquecido da necessidade de disciplinas psicológicas, a fim de que possam acertar o passo com o desenvolvimento interno.

O aumento alarmante de adeptos de drogas, de alcoólatras, de grandes fumantes, de histéricos, de delinquentes, de anarquistas, de ociosos e dos que se rebelam contra a sociedade, causando um aumento não menos alarmante de perturbações mentais, de crimes e de violência, constitui um resultado inevitável dessa grave negligência.

Se a humanidade tiver de ser salva do desastre, o cultivo voluntário da mente e a formação do caráter, como preparação para a vinda de uma consciência maior, e, consequentemente, de uma nova ordem mundial – pelo menos no caso de indivíduos geneticamente prontos para o desenvolvimento -, deveriam formar parte integralmente de todos os sistemas educacionais.

Não está longe o dia em que, com a compreensão da irresistível tendência evolutiva do corpo humano, a elite será compelida a curvar-se, submissa, diante dessa imperiosa exigência do cérebro humano em evolução que está levando a humanidade para um destino glorioso e predeterminado.

A inextinguível centelha da indagação, no homem, jamais terá repouso feliz enquanto não encontrar a resposta para seus próprios problemas.

A resposta jamais poderá vir do intelecto, que já está cambaleando sob o peso dos conhecimentos que reuniu até o momento presente. Mas virá através de um canal superior de percepção sutil, canal que a humanidade deve desenvolver para realizar o seu destino.

Toda a trama da vida humana, suas estruturas sociais, políticas, religiosas e educacionais, terão de ser remodeladas para se adaptarem a essa necessidade. O cultivo da mente e o rearmamento moral são os dois ingredientes mais essenciais para esse inevitável reajustamento. A humanidade encontra-se agora frente a frente com a situação mais crítica de sua carreira evolutiva, uma situação que pede reflexão, calma, estudo e pesquisa, e não os expedientes aleatórios que estamos adotando no momento.

MAIS CONHECIMENTO HOLÍSTICO

Receba, GRATUITAMENTE mais conhecimento holístico no seu email!>

8 Comentários


  1. Uma ótima contextualização do momento transicional em que nos encontramos, sobretudo no que tange a educação que somos imersos desde tenra idade, voltada através de uma visão altamente materialista, a nos afastar cada vez mais de nossa verdadeira essência. Contudo a busca do autoconhecimento e da iluminação interior sempre estará acessível àqueles que se disponham a trilhar o caminho, ao passo que forças que muitos chamam de “acaso” se encarregarão de colocar em nossas mãos, ferramentas que muito nos auxiliam em nossa jornada, sejam em textos muito bem apresentados como este acima, abordando a importância da atenção, de estarmos presentes em nós mesmos, sejam por outras senhas que diariamente nos chegam, tudo o que precisamos e aprender a ouvir o universo. Parabéns pelo artigo!
    Marcos Vinicius ::

    Responder

  2. Parabéns pelo artigo!
    Descreve bem o momento de transição entre Eras no qual nos encontramos.
    Aquaryus vem trazer luz para a obscuridade humana causada pela ausência de moral, ética distorcida e completa falta de bom senso.
    Acredito que toda a cultura indiana deve ser conhecida, visitada e internalizada com critério e discernimento. Há ensinamentos belíssimos, mas há muita confusão, muita ambivalência e algumas bobagens mesmo.
    A meditação é o principal instrumento para a iluminação, mas não há esta obrigatoriedade de “cruzar pernas”, “esvaziar a mente”, entre outras desinformações desnecessárias. Tu pode meditar sentado, deixar os pensamentos fluírem sem interferência consciente, manter os olhos semi-cerrados e o olhar entre o topo e a base do nariz, observar sua mente e pode até viver em estado meditativo durante todo o dia.
    Agradeço a oportunidade da leitura e do comentário.
    _ _ _ Stangari

    Responder

  3. A única e possível revolução social é a imersão na consciência:
    Nela se transcende as ilusões e os egoísmos;
    Dela emergirão os valores para uma verdadeira unificação,
    onde a equidade relacional nos integrarão aos demais entes vivos.
    Parabéns pelo texto, sedimentou minha compreensão e me instigou a proceder a jornada,

    Responder

  4. Bom dia
    Eu já estou indo em busca do conhecimento tambem como a desta materia acima.
    buscando entendimento do ser tanto na religião fui apartir deste conhecer litoterapias. Reik I,II e III, massagens quanticas, radiestsia, radionica, mesa quantica estelar, aromaterapia, estudando tambem rosa-crus gnosi
    Creio que já me sinto bastante diferente do que tinha e que estou sentido mudanças consideravel neste caminho de busca e aprendizados que foram de altissima valia, e se assim o for quero e aceito tambem conseguir este caminho de compreessão do do ser com o universo.
    Grata por esta materia que tem me ensinado o que tem de tão belo na busca do conhecimento e no exercicío na vida.
    Atenciosamente
    Aparecida de Carvalho Nogueira
    loiramae56@gmail.com

    Responder

  5. O buscador tem dentro de Sí a Vontade de encontrar algo que na maioria das vezes desconhece o que seja,porém depois de utilizar métodos passados para outros buscadores percebe que “Basta prestar atenção aos Sinais”,e Seus ensinamentos começaram a chegar e Agregar aos que ele buscou até alí,uma continuidade na maioria das vezes despercebida por muitos mas primordial para a evolução do Planeta.
    Muita Luz!: :

    Responder

  6. Existem momentos na vida da gente que percebemos algo novo e verdadeiro. Eles acontecem como “flashes”, muito rápidos, mas o bastante para impressionar nossa mente já tão castigada de rotinas. É aí nossa chance! Atenção para desenvolver um intento, para movermos como um todo, com uma cara feliz ,sem julgamentos. Um artigo como esse pode compor uma alavancazinha para sairmos da inércia. Fico feliz com isso.Grato

    Responder

  7. Quais seriam os métodos de elevação da consciência através do treino de uma atenção focada a toda prova? Teu texto induz a isso, mas não diz nada sobre como fazê-lo. A gente precisa é de prática persistente, dentro de um método que obtenha resultados seguros, porque somente o esforço não basta, ele pode ser dirigido equivocadamente, como tu mesmo já disse, para uma direção inaproveitável. A gente chegou num tempo que precisamos limpar o verbo de muitas considerações e ir direto ao ponto.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *