Tudo Sobre Chá: Propriedades, Receitas e Como Fazer - Alquimia Operativa

Este site usa cookies e tecnologias afins que nos ajudam a oferecer uma melhor experiência. Ao clicar no botão "Aceitar" ou continuar sua navegação você concorda com o uso de cookies.

Aceitar

Espagiria

Tudo Sobre Chá: Propriedades, Receitas e Como Fazer

Daniél Fidélis ::
Escrito por Daniél Fidélis :: em 04/10/2021
2 min de leitura
Tudo Sobre Chá: Propriedades, Receitas e Como Fazer
Junte-se a mais de 30 mil pessoas

Faça parte do nosso Círculo Interno de Leitores para receber conteúdos exclusivos semanalmente (é grátis):

O chá pode ir além dos efeitos físicos. Sempre enxerguei essa bebida como uma forma de conexão, um encontro consigo e com o próximo.

O chá é muito antigo. Vem da China. Estima-se que é a bebida mais popular no mundo, depois da água. No Oriente, há milênios, teve início o cultivo da Camellia sinensis, planta nativa do sul da China e da Índia, que deu origem à bebida.

Sua cultura reúne rituais, costumes, histórias e arte. Atualmente ainda existem cerimônias de chá com coreografias elaboradas e movimentos das mãos feitos com leveza e perfeição que demostram como se portar, segurar os utensílios, beber e se limpar.

Dessa mesma maneira acontece no Japão, onde o ritual ocorre não só pelo consumo, mas também pela estética. A tradição zen-budista chamada chanoyu é focada na preparação e no servir do matcha – chá verde moído em pó – perante os convidados.

Cada ato é concebido para aguçar os sentidos nessa tarefa, e as distrações são reduzidas ao mínimo possível.

Na Índia, há o consumo do chai, mistura de chá preto com especiarias, leite e açúcar. Ele tornou-se bastante comum na segunda metade do século 19, quando fazendeiros britânicos disponibilizaram o produto para a população. Cardamomo, canela, gengibre, cravo, pimenta e noz-moscada estão entre os condimentos mais utilizados.

Já o costume inglês conhecido como chá da tarde surgiu em meados do século 19 a partir do surgimento da iluminação a gás nas casas aristocráticas. As famílias jantavam mais tarde, e a duquesa de Bedford pediu uma pausa para o consumo da bebida às 16h, instaurando a tradição. Lá a xícara é servida com leite ou limão.

No Brasil, a bebida mais apreciada é feita com a erva-mate, chamada em algumas regiões de chimarrão, um legado dos povos indígenas Aimará, Quéchuca e Guarani. Também é consumido por aqui o chá preparado com a planta Camellia sinensis, cujo cultivo está associado às colônias japonesas.

Chamada de tisana na Espanha, na Itália e na França, a bebida difere no preparo. Mas em qualquer parte do mundo, ela é sinal de hospitalidade, tem fins medicinais ou serve como um presente.

Pode ser desfrutada em reuniões privadas ou em público, e causa múltiplas sensações. É bom para a saúde do corpo e da mente. Além de ser uma viagem sem sair do lugar.

O que é um Chá?

Só pode ser chamada de chá a bebida derivada da planta Camellia sinensis. Qualquer outra feita a partir de ervas, como camomila, erva-doce, capim-cidreira, é uma infusão – nome da produção do líquido.

A Camellia sinensis dá origem aos chás preto, verde, branco, vermelho, pu-erh e oolong. Cada um deles é obtido dessa planta conforme o grau de oxidação da folha, combinado com o processo de fermentação.

Quanto menor a oxidação, há mais propriedades antioxidantes e menor quantidade de teína, substância estimulante cujo efeito é semelhante ao da cafeína. Assim, na escala, o chá branco é o menos oxidado, e o preto, o mais oxidado.

No entanto, é comum designar como chá as diversas infusões. Inclusive nós já fizemos isso em um dos nossos vídeos no YouTube chamado “O Chá dos Filósofos”. Aqui mesmo, no artigo, chamamos as infusões de chá.

Influência no Corpo

No cultivo das ervas, inúmeros fatores influenciam sua qualidade, como o solo, o clima, a temperatura do ambiente e a umidade do ar. Além disso, cada planta tem propriedades diferentes que resultam em reações no corpo humano.

Portanto, o chá vem com os benefícios da erva escolhida. Existem as plantas calmantes, as digestivas, as diuréticas etc. Algumas podem acelerar o metabolismo, aliviar sintomas da TPM, servir como desintoxicante ou simplesmente hidratar.

Ao ingerir o chá, a erva é metabolizada e desempenha sua função, enquanto a água vai direto para o sistema renal agindo na filtragem do sangue. Por isso, é preciso tomar cuidado com os exageros.

Agora, atenção: beber chá em excesso pode ser prejudicial à saúde. Veja mais neste artigo: https://medicoresponde.com.br/beber-cha-em-excesso-faz-mal/

Sinergias ou Combinações

Para misturar ervas, devemos pensar na intenção ou, simplesmente, no sabor (mais cítrico, adocicado, simples ou frutado. Em seguida, escolher um ingrediente-base.

Os mais fáceis de serem combinados são a maçã, a pera e o capim-limão. Busque blends com características parecidas entre si.

Tenha cuidado para não misturar produtos muito fortes que mascaram o sabor das outras plantas. O ideal é adicionar uma erva aromática e outra para dar o sabor. Daí a importância de aguçar os sentidos.

Como Fazer o Chá

Há duas formas de fazer chá: por infusão ou decocção. Para os derivados da Camellia sinensis e de ervas delicadas, a primeira opção é a melhor.

Por infusão: aqueça a água, adicione a erva, tampe o recipiente, espere alguns minutos e está pronto para beber.

Por decocção (indicado para cascas, raízes e caules): deve esperar a água levantar fervura e deixar os ingredientes por mais tempo.

O ideal para os chás verde e branco é adicionar a água a 80°C e deixar a erva descansar de um a três minutos (como fazemos no Chá dos Filósofos). Já o chá preto deve ser colocado em água a 100°C por até cinco minutos.

➜ Conheça a nossa Escola de Alquimia e Esoterismo.

Propriedades dos Chás

ERVAS:

Alecrim: antidepressivo, evita cáries e alivia a gripe.

Boldo: auxilia na digestão de gorduras.

Camomila: acalma, melhora o sono e reduz a ansiedade.

Capim-limão: analgésico, expectorante, digestivo e melhora cólicas menstruais.

Cavalinha: combate dores de cabeça, varizes, fortalece cabelos e unhas.

Cidreira: acalma, auxilia na digestão e alivia distúrbios renais.

Dente-de-leão: desintoxicante do fígado, previne hepatite e problemas digestivos.

Ginseng: usado para tratar o cansaço e a fadiga.

Hibisco: antioxidante, diurético e rico em cálcio e magnésio.

Hortelã: indicada para enjoo, náuseas e problemas digestivos.

SINERGIAS OU BLENDS:

Dente-de-leão + Chá Verde + Hibisco: acelera o metabolismo e a queima de gordura e açúcar.

Chá branco + Hibisco + Carqueja: desintoxicante, elimina toxinas, além de melhorar o funcionamento do intestino.

Chá verde + Boldo + Cavalinha: termogênico, acelera a queima de gordura.

Carqueja + Centelha-asiática + Cavalinha: é diurético e melhora as funções do fígado.

Dente-de-leão + Centelha-asiática + Alfafa: diurético, drena o excesso de líquido.

Artigos Recomendados

Se você gostou deste artigo, aconselhamos que leia estes, complementares:

➜ Qual o Remédio Natural Mais Poderoso?

➜ 13 Ervas Medicinais que Todo Alquimista Precisa ter em Casa

➜ Como o Alquimista Transforma Qualquer Erva Medicinal em um Poderoso Elixir

Junte-se a mais de 30 mil pessoas

Faça parte do nosso Círculo Interno de Leitores para receber conteúdos exclusivos semanalmente (é grátis):

O que achou do conteúdo?

Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado.

One Reply to “Tudo Sobre Chá: Propriedades, Receitas e Como Fazer”

Ivandésio

muito rico o assunto