Diferença entre Magia e Teurgia

É a primeira vez que escrevo sobre magia e teurgia aqui no blog.

Pois, são assuntos (na minha opinião) que devem ser abordados apenas em círculos fechados (mas não inacessíveis) onde o operador tenha passado por uma preparação (teórica e prática).

Além disso, aflora a agressividade daqueles que estudam e/ou praticam alguma forma de magia.

Como existem muitos sistemas, muitas vertentes, algumas pessoas acabam polarizando, demasiadamente, os diversos pontos de vista.

A Magia e a Teurgia é um dos temas de estudo das Câmaras mais internas da nossa I::H::S::A::

O presente texto está em concordância com eles.

MAGIA E TEURGIA

A magia popular, em sua forma cerimonial, descende de práticas de teurgia mal compreendidas. Sua progressiva deformação resulta de sua mesclagem com práticas supersticiosas e folclóricas da bruxaria dos campos.

Devemos esta confusão, também, aos teólogos cristãos como Santo Agostinho, que rebaixou a teurgia no âmbito da baixa magia. Já que por um lado, não compreendeu seu sentido e, por outro, a autonomia espiritual provocada pela prática teúrgica havia prejudicado a autoridade do catolicismo.

Segundo os grandes princípios do ocultismo tradicional a magia tende ao manejo das forças naturais com fins de satisfação pessoal.

Então, o Teúrgo faz o inverso. Porque o benefício dos ritos retorna à divindade, como uma assunção pela qual a energia encontra lugar na vida do operador.

A consequência deste processo é um suposto benefício também para o Homem, em termos de sabedoria e conhecimento.

O teúrgo contempla as formas de Deus. O mago produz imagens e tenta submeter “os deuses” à sua vontade. A aproximação é radicalmente diferente e é, principalmente, esta determinação que diferencia a magia da teurgia.

A diferença fundamental entre a magia e a teurgia, é que o mago permanece como um homem carnal que exerce uma ação sobre as esferas celestes com a intenção de submetê-las aos seus desejos.

O teurgo, reclama um impulso do divino em sua direção para reencontrar a memória luminosa enterrada em suas próprias trevas.

O teúrgo não pede nada para sua condição terrena já que busca transcendê-la.

O FRUTO DO TRABALHO E NÃO UMA RECOMPENSA

No hermetismo, o trabalho não consiste em portar-se bem para ganhar o céu. É um trabalho de redescobrimento da memória que se encontra no seu interior.

Com a ajuda de Deus e dos Ritos (e também da alquimia que administra a parte biológica do processo), esta memória retorna, e o homem contempla sua verdadeira Natureza por uma habituação da visão do divino.

O trabalho teúrgico aumenta a noção de ética, e não o de uma vontade autoritária que procura impor-se pela força e pela coação.

Entra-se em contato com energias celestes catalogadas em uma cartografia particular (é o rol da Astrologia antiga o de fazer tais itinerários). Estas energias divinas ajudam em nossa evolução espiritual.

Por hora, é o que tenho para compartilhar com você. Trata-se, apenas, de um ponta pé inicial com o objetivo de estimular maior aprofundamento no tema.

Voltarei ao assunto…

Cadastre seu email, abaixo, para ser notificado(a) quando houver uma nova publicação:

Foco, impacto e criatividade

Insira o seu endereço de e-mail abaixo para receber <strong>grátis</strong> as atualizações do blog!

16 Comentários


  1. Esta frase “O teúrgo não pede nada para sua condição terrena já que busca transcendê-la.” é simplesmente fantástica. E o verbo “transcender” parece ser o ponto de partida para algo muito profundo… o que viria a partir daí!? Expansão da consciência dominando a matéria para explorar o extra-físico que é nossa origem?

    Grande abraço e parabéns pelo belo trabalho!

    Responder

    1. Olá, Almir. Obrigado por prestigiar o blog. A transcendência ocorre paralelamente à expansão da consciência. No início do processo, a primeira é a consequência da segunda. Pois, tudo inicia no pensamento e na consciência. A partir daí, a sutilização avança para níveis cada vez mais elevados…

      Responder

    2. Por gentileza busco uma fonte séria sobre teurgia.o sr.poderia me indicar.vou estudar só.gratidao.Mia.

      Responder

  2. Obrigado pelo texto, Daniel.

    Como sempre muito claro e preciso em seus termos e de muita ajuda. Muitos autores e estudiosos complicam demais as coisas, e o que precisamos no mais das vezes é dessa objetividade, anda mais no mundo de hoje.

    Abs!

    Responder

    1. Obrigado pela opinião, Thiago! De fato, simplicidade é o que tentamos incutir no trabalho.

      Responder

  3. Toda ação corresponde a uma reação de igual intensidade vibrante em sentido diverso.
    Palavras estão definidas em incontáveis condições.
    Ainda é bom lembrar da ‘magia’ do som …

    Responder


  4. Simples e profundo . Confiar, se purificar e se colocar a disposição para que o grande poder se manifeste por nosso intermédio, a principio sem saber muito bem como isso acontecerá . Sem forçar conforme meus desejos . . .

    Responder

  5. Estou me dedicando aos estudos ao paralelo deste mundo. Desejo descobrir oque está além da compreensão humana. Preciso de orientações, e acredito que as suas serão de grande significância Daniel Fidélis.

    Aguardo Feedback ..
    email: evenyson@gmail.com

    Responder

  6. Boa noite. Gostaria de saber o que pensa sobre leitura de energias. Pessoas que falam da vida de outras pessoas * vendo, *lendo sua aura . Obrigada . Parabéns pelo seu trabalho. Ótimo.

    Responder

    1. Olá, Milene! Essa competência faz parte de todo Ser Humano.

      Responder

  7. Sua opinião sobre a “ Obr de Eliphas Levi “ seu trabalho com Magia – Ciência” relatcom a Doutrina Espírita Kardecista

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *